domingo, 28 de outubro de 2007

Miguel Sousa Tavares

Deveria ser proibida a apresentação de uma novidade de grande envergadura na impressa ou qualquer outro meio de comunicação social, antes de o livro estar devidamente distribuído pelo circuito comercial.
Proibida a data de comercialização de um livro calhar a uma 2ª feira !
Passamos assim um fim de semana inteirinho a responder a centenas de leitores ávidos que "Não, ainda não recebemos o M.S.T", "Ainda só foi apresentado para a comunicação social", "Só está disponível a partir de 2ª feira... pois terá de esperar até ao próximo fim de semana, eu sei"...

E derivamos para respostas do género "Lançamento? Foi só para os amigos do costume!Sabe como é, o mexilhão..."

Só falta um dia, pfff.

6 comentários:

Bruno Duarte Eiras disse...

Nas bibliotecas ainda é pior! Apesar da maioria das pessoas saber que (infelizmente) às bibliotecas os livros chegam com algum atraso em relação aos lançamentos, ainda existem pessoas que nos perguntam isso todos os dias. Felizmente não me posso queixar muito porque na biblioteca onde trabalho conseguimos uma novidade em menos de uma semana.

jo disse...

Imagino o vosso sofrimento! No meu caso foi só um fim de semana que se se prolongasse mais me teria levado ao suicído, no mínimo.
Já agora, como fazem as bibliotecas em relação às novidades? Podem adquiri-las com regularidade ao longo do ano? Eu trabalho com muitas bibliotecas, maior parte são escolares, fazem encomendas de livros uma a duas vezes por ano, e apostam muito nos títulos mais antigos (e este ano na lista do PNL,claro).
Tenho de ir ver o seu blog, pode ser que tenha alguma informação sobre o assunto.

Bruno Duarte Eiras disse...

Tal como disse no comentário anterior trabalho numa biblioteca que constitui uma excepção. Nós temos um contrato de fornecimento contínuo para as novidades editoriais que felizmente nos permite ter novidades com bastante regularidade. Mas somos, infelizmente, uma excepção, já que a maioria das bibliotecas tem pouco dinheiro para adquirir livros... quanto mais novidades.
As bibliotecas escolares pela sua função funcionam de forma diferente.

totoia disse...

Esperei com muita ansiedade que o livro saisse, mas quando vi o preço desanimei, não que já não tivesse dado esse valor por outros livros. Mas acho que é um bocadinho aproveitar um sucesso estrondoso chamado Equador e agora esticaram o preço, como não gostei não vou comprar, leio quando chegar a minha biblioteca.

jo disse...

totoia: apoio totalmente, e contra mim falo. O livro é muito caro, e com o sucesso/lucros esperados, bem podia a editora fazer um preço mais baixo. Talvez faça o mesmo e vá à biblioteca perguntar quando é que chega :)

Nélida Capela disse...

Adorei seu blog. Coloquei na lista do Lector in Fabula. Como fui livreira, e ainda vivo entre os livros, há muitas observações em comum, como o desacordo entre a comunicação dos jornais e as programações de editoras. Isso acontece em Brasil também. Aproveito para convidar vocês a visitar www.lectorinfabula.blogspot.com